Madame Grés

Eu ainda estou devendo posts sobre a minha viagem à Europa, mas vou começar pelo final, posso? :)

No meu último dia em Paris, eu já tinha feito todos os passeios “óbvios” da cidade e tinha um tempinho live pra fazer coisas fora do roteiro de turistão.

Foi assim que acabei no Museu Bourdelle para a exposição da estilista Madame Grés. Eu só conhecia a francesa por causa de um vestido que vi no Tumblr, e quando li na Vogue que ia ter essa exposição em Paris, achei que valia a pena dar uma passadinha. Só me arrependo que só fiz isso no último dia, porque foi uma das coisas que mais amei fazer na cidade!

Apesar de ser um nome fortíssimo da alta costura durante quase todo o século XX, Madame Grés não é tão conhecida por aí e são poucas as celebridades que a gente vê usando suas criações (só encontrei a Cristina Ricci usando um vestido vintage maravilhoso no Golden Globes de 2004) – infelizmente, porque eu não me importaria de ver red carpet só com Madame Grés!

Chegando lá, fiquei fascinada porque o museu é repleto de peças do escultor francês Antoine Boudelle (que dá o nome ao espaço), que se combinam perfeitamente com os vestidos da estilista, que são verdadeiras esculturas de moda.

Cheias de drapeados, plissados e detalhes incríveis, são uma verdadeira lição de elegância e beleza. Sério, quase chorei vendo as peças! Dá uma olhadinha no que tem por lá:

Esse vestido fica na primeira sala da exposição e já é de cair o queixo. Eu fiquei tão impressionada que não fotografei todos os detalhes, mas veja aqui as costas dessa peça. É lindo demais!

Só eu que acho que esse vestido vermelho é uma inspiração mais classuda daquele Versace que a January Jones usou no Golden Globes?

Esse vestido colorido é absurdamente impressionante de perto! O trabalho do drapeado e as cores são fantásticos, amei muito! E eu adoro que logo ao lado tem esse vestido roxo, também dos anos 70, super minimalista e clássico.

Nas peças de outono/inverno dos anos 40 e 50, reinavam as cores sóbrias, tecidos mais pesados e cortes clássicos. Elegância pura!

E esse vestido azul, o auge do minimalismo? O incrível da exposição é que, por mais que os modelos sejam simples, têm sempre um corte impecável e tecidos maravilhosos.

E pra fechar, um vestido que não consegui fotografar direito porque minha bateria estava acabando mas que merece entrar aqui em foto de arquivo do museu, de tão gracinha (hebe feelings) que é:

Pra quem se interessou sobre Madame Grés, a Constanza Pascolato escreveu sobre ela na Vogue e tem o texto reproduzido aqui.

E pra quem estiver em Paris até o dia 28 de agosto tem a obrigação de ir na exposição e se emocionar tanto quanto eu! Ah, detalhe bacana: a entrada custa € 7, mas quem tem menos de 26 anos paga meia entrada, é muito baratinho. Todas as informações estão aqui.

Gostaram? Já conheciam o trabalho fenomenal da Madame Grés? :)

por Julia

Anúncios

4 comentários

  1. Impressionante isso e arte em roupas! e e sobre o vestido versace: nada se cria tudo se copia e deixa mais brega.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s